1.º Ciclo na Infancoop

1.º Ciclo na Infancoop

sexta-feira, 10 de julho de 2009

A velha lenda irlandesa

Li ontem num livro, que relata as memórias de uma mãe de uma criança especial, "Memórias de uma Mãe sobre o seu Filho Autista", de J.McDonnell:

"...o Paul faz-me lembrar a velha lenda irlandesa do changeling, a criança encantada deixada no berço no lugar da criança verdadeira, que era roubada. Paul parece uma criança transcendental, que passou para este mundo vinda de um outro género de existência. A criança do changeling foi sempre muito bonita, perfeita sob todos os aspectos, mas de alguma maneira separada. O Paul é tão bonito, tão perfeito e, no entanto, não parece estar connosco, ser nosso."

Nós temos um "Paul" na nossa sala.
É lindo, meigo, ternurento, exigente no trato.
Brinca com as peças do Scrabble, adora nadar na praia e detesta crachás e autocolantes colados na roupa.
Não gosta das brincadeiras ruidosas das outras crianças, vivendo no seu mundo de felicidade e paz. Quando está alegre, bate palmas e faz o maior sorriso do mundo.
No nosso "Paul" chama-se João, mas também podia chamar-se Pedro ou Miguel ou Beatriz. É encantador e sofre de perturbação do espectro do autismo.

No início do ano lectivo era diferente de nós e isso amedontrava-nos. Agora, é diferente de nós e nós damos graças pela ternura e pela riqueza que trouxe à nossa vida. Cada uma das crianças da nossa turma tem afecto e carinho por ele.

Ele cativou-nos e nós cativámo-lo.
Somos eternamente responsáveis por ele.

8 comentários:

Mina disse...

Anabela
Será?!... que esse Paul, é o mesmo que eu li, das "memórias de uma mãe sobre o seu filho autista".
Há muitos anos encontrei nesse Paul, muitas das caracteristicas do meu filho Bruno.
Uma grande dávida dada por essa mãe, que me ajudou a tirar dúvidas e ganhar certezas.
E Paul deu-me esperança...
Espero que o João consiga mantêr essa harmonia, e que continue a cativar, só pode!...
Bjos

Anabela disse...

Mina:
Sim, é esse mesmo, já acrescentei a referência. Obrigada :)
Também vou lendo o livro e vendo algo do João... e leio as percepções que a mãe foi tendo das coisas e sinto algumas delas... e leio o que os professores e os médicos foram fazendo e tento perceber com quais me quero parecer...
O João continua na sua incessante tarefa de nos conquistar, de nos exigir afecto tranquilo, de rejeitar confusões e de adorar as suas peças do scrabble. Está aqui ao lado e quando trocamos olhares responde "iiiiiii belha" (a Bela sou eu...). É um tesouro.

mateo disse...

Anabela, não terei eu também um pouco de autismo escondido?
Porque... de vez em quando... gosto de desaparecer!
Beijo e abraço adequados.

Anabela disse...

Mateo:
Aposto que só queria ter um pouco de "autismo escondido" para ser tão especial e encantador como o João, mas não consegue tal façanha. Mas tem sem dúvida qualquer coisa de "changeling".
Bom fim de semana!

Dina disse...

Olá, olá

É tão bom, ir encontrando aqui e ali, assim de forma inesperada, pessoas, verdadeiros seres humanos, que lutam para fazer a diferença na vidas das nossas crianças... todas elas merecem ser educados por professores assim, obrigada!

Beijinhos

Anabela disse...

Dina:
Um bem-haja e um beijinho.
Agora estamos numa (merecida!) pausa, mas em Setembro voltaremos com novas actividades e reforçadas emoções. Um beijinho!

Ondina disse...

eu sou a mae de um aluno que tem o previlegio de ter o joao como colega o joao e uma crianca adoravel. e uma mais valia para o meu filho ser colega do joao com a ajuda da professora anabela ele aprende a amar ,brincar ,respeitar todas as pessoas da mesma forma bem haja a fantastica professora que e a professora anabela obrigado aos pais do joao por nos darem tambem a nos o prazer de conviver com o voco filho que e um ser humano adoravel

Anabela disse...

Mãe Ondina:
o João M. é adorável e muito especial. Tem-nos ajudado a crescer e - a mim, aos meninos e a tantos outros na nossa escola. A mãe Ondina também tem sido incansável neste percurso, tendo uma palavra especial para o João todas as manhãs.
Também o seu filhote tem esse cuidado e esse afecto - e essas coisas podem ser trabalhadas na escola, mas muitas vezes vêm "de casa" e é o que se passa com o seu filho. É uma mãe-coragem! Parabéns por isso.
Um beijinho e continue a aparecer e comentar :)